9.11.05

92. A Crítica do Juízo.

Tenho mencionado nas aulas alguns trechos da Crítica do Juízo, de Kant, em especial aqueles que foram citados por Stanley Cavell nas discussões sobre a natureza dos enunciados sobre a linguagem. Para facilitar, transcrevo um dos parágrafos relevantes nesse tema.
“Comparação do belo com o agradável e o bom através da característica acima.”
“Com respeito ao agradável, cada um resigna-se com o fato de que seu juízo, que ele funda sobre um sentimento privado e mediante o qual ele diz de um objeto que ele lhe apraz, limita-se também simplesmente à sua pessoa. Por isso, ele de bom grado contenta-se com o fato de que se ele diz “o vinho espumante das Canárias é agradável”, um outro corrige-lhe a expressão e recorda-lhe que deve dizer “é agradável para mim”; e assim não somente no gosto da língua, do céu da boca e da garganta, mas também no que possa ser agradável aos olhos e ouvidos de cada um. Pois a um a cor violeta é suave e amena, a outro morta e fenecida. Um ama o som dos instrumentos de sopro, outro o dos instrumentos de corda. Discutir sobre isso, com o objetivo de censurar como incorreto o juízo de outros, que é diverso do nosso, como se fosse logicamente oposto a este, seria tolice; portanto, acerca do agradável vale o principio: cada um tem seu próprio gosto (dos sentidos).
Com o belo, o caso é inteiramente outro. Seria (precisamente o contrário) ridículo se alguém que se gabasse de seu gosto pensasse justificar-se com isto: este objeto (o edifício que vemos, o traje que aquele veste, o conceito que ouvimos, o poema que é apresentado para julgamento) é belo para mim. Pois ele não tem que denominá-lo belo (não deve denominá-lo) se apraz meramente a ele. Muita coisa pode ter atrativo e agrado para ele, com isso ninguém se preocupa; se ele, porém, toma algo por belo, então atribui a outros precisamente a mesma satisfação/complacência; ele não julga simplesmente por si, mas por qualquer um e neste caso fala da beleza como se ela fosse uma propriedade das coisas. Por isso ele diz: a coisa é bela, e não conta com o acordo unânime de outros em seu juízo de complacência porque ele a tenha considerado mais vezes em acordo com seu juízo, mas a exige deles. Ele censura-os se julgam diversamente e nega-lhes o gosto, todavia pretendendo que eles devam possuí-lo; e nesta medida não se pode dizer: cada um possui seu gosto particular. Isto equivaleria a dizer: não existe absolutamente gosto algum, isto é, um juízo estético que pudesse legitimamente reivindicar o assentimento de qualquer um.
Contudo, descobre-se também a respeito do agradável, que no seu julgamento pode ser encontrada unanimidade entre pessoas, com vistas à qual se nega a alguns o gosto e se concede a outros, e na verdade não no significado de sentido orgânico mas de faculdade de julgamento com respeito ao agradável em geral. Assim, se diz de alguém que sabe entreter seus convidados com amenidades (da fruição através de todos os sentidos), de modo tal que apraz a todos, que ele tem gosto. Mas aqui a universalidade é tomada só comparativamente; e então há somente regras gerais (como o são todas as empíricas), não universais, como as que o juízo de gosto sobre o belo toma a seu encargo ou reivindica. Trata-se de um juízo em referencia à sociabilidade, na medida em que ela se baseia em regras empíricas. Com respeito ao bom, os juízos na verdade também reivindicam, com razão, validade para todos; todavia, o bom é representado somente por um conceito como objeto de uma satisfação/complacência universal, o que não é o caso nem no agradável nem no belo.”

2 Comments:

Blogger sarahlangley3393 said...

I read over your blog, and i found it inquisitive, you may find My Blog interesting. So please Click Here To Read My Blog

http://pennystockinvestment.blogspot.com

2:06 PM  
Blogger johneygibson3760521026 said...

Get any Desired College Degree, In less then 2 weeks.

Call this number now 24 hours a day 7 days a week (413) 208-3069

Get these Degrees NOW!!!

"BA", "BSc", "MA", "MSc", "MBA", "PHD",

Get everything within 2 weeks.
100% verifiable, this is a real deal

Act now you owe it to your future.

(413) 208-3069 call now 24 hours a day, 7 days a week.

5:31 AM  

Post a Comment

<< Home

ISP
ISP